HL Informática Com. Serv. Ltda

Sistemas Integrados

Faturamento

Estoque

Fluxo Financeiro

Escrita Fiscal

Folha de Pagamento

Sistemas de Automação

Controle Automotivo

Controle de Vendas

Controle de Abastecimento

Controle Transportadoras

Controle de Ponto

   Seu IP é 54.90.159.192

Clientes
 

Cliente

Senha

 
 

Esqueceu a Senha

HL SYSTEMS
Página Principal
Sistemas
WebDesign
Notícias
Enquêtes
Clientes
Downloads
Artigos
Reportagens
A Empresa
Área de Atualização

Fale Conosco
Vendas
Suporte
AutosXP - Vendas
AutosXP - Suporte

 Últimas Notícias

10/1/2014 - Para governo, culpa da inflação alta é da gasolina, do câmbio e do mercado de trabalho

Mesmo com toda articulação do governo, que represou reajustes e forçou a queda de algumas tarifas, a inflação oficial de 2013 ficou em 5,91%, acima dos 5,84% de 2012.

Alta dos preços livres, não controlados pelo governo, é a maior em dez anos
Postos repassaram todo reajuste da gasolina aos consumidores
Inflação deve se manter elevada no começo de 2014, dizem analistas
Ao vivo: Acompanhe a reação do mercado

Confirmou-se exatamente o que a presidente Dilma Rousseff pediu à sua equipe ao longo do ano passado que não deixasse acontecer.

A cúpula e os técnicos do Banco Central e do Ministério da Fazenda passaram o ano, sobretudo o segundo semestre, apostando nas reuniões internas que o IPCA do ano, ficaria abaixo dos 5,8%.

Esperavam, com isso, poder sustentar o discurso de que a inflação esteve pressionada, mas, no final, reafirmou a trajetória de queda verificada nos últimos anos.

JUSTIFICATIVAS

Divulgado o valor oficial acima do previsto, a tese em que o governo se ancorava ruiu e a culpa ficou com os combustíveis, o câmbio e os "custos originados no mercado de trabalho".

Esse foi a justificativa apresentada na curta nota à população divulgada há pouco pelo Banco Central em nome do presidente Alexandre Tombini.

No mais, o comentário do BC, cuja principal função é manter a inflação sob controle, se limita a dizer o óbvio: que a inflação mostrou "resistência ligeiramente acima daquela que se antecipava" e que o resultado do ano passado ficou dentro do intervalo de tolerância previsto.

No sistema brasileiro, o IPCA pode variar de 4,5% a 6,5%.

O ministro interino da Fazenda, Dyogo Oliveira, acrescentou ainda na lista dos culpados as passagens aéreas.

PERSPECTIVAS POSITIVAS

Para ele, porém, os 5,91% de 2013 não têm diferença em relação aos 5,84% de 2012. "A diferença é na segunda casa decimal. Então, tivemos o índice praticamente estável". E isso, para ele, "demonstra que a inflação está sob controle no Brasil".

Oliveira também disse que as perspectivas são positivas. "Em 2014, teremos, assim como nos últimos dez, 11 anos, inflação sob controle e o governo manterá toda atenção para que isso ocorra."

Desde 2004, quando o país registrou IPCA anual dentro do intervalo de tolerância estabelecido, a inflação variou de um patamar próximo ao piso da época, como em 2006 (3,14%), a outro muito perto do teto: 7,60 (2004). Resta saber para onde o governo está olhando agora.

 

Agencia : FOLHA SP

 

 

 

 
 

HL Informática Com. e Serv. Ltda - © Copyright 2002 | Termos do Serviço | Privacidade